Canto das Aves – RPPN Adilia Paraguassú (Mucugê-BA)

Hoje fui fazer um passeio rotineiro sozinho. Desta vez, pensei que iria fazer uma trilha sem muitas novidades até o Poço Redondo, um dos atrativos turísticos de Mucugê mais visitado por moradores locais. Porém, surpresas apareceram no caminho.

Já comecei a trilha tarde (11h da manhã) para quem gosta de começar cedo. Mas o dia nublado ajudou. De início, comecei a trilha dentro da Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN Adilia Paraguassú (com “ss” mesmo). Paraguassú é uma família tradicional de Mucugê (quem nunca ouviu falar da índia Catarina Paraguassú?). Estava quase tudo florido nos arbustos e gramíneas da RPPN. E as abelhas estavam trabalhando, principalmente polinizando as Calliandras vermelhas.

Calliandra sendo polinizada por uma abelha africana.
Calliandra sendo polinizada por uma abelha africana.

Parei em um córrego que estava com bom volume de água graças à chuva que caiu recentemente, tirei o tênis, e resolvi colocar somente a palma das mãos na água. De início, a senti geladinha. Mas logo as palmas das mãos e a água pareciam ser uma coisa só. Então enfiei as mãos na água e a água e o corpo pareciam ser um, em sintonia. Fato curioso é que aproximadamente 70% de nosso corpo é constituído de água, segundo estudiosos. Se é assim, estava firmado o contato entre as águas. Somente água fluindo: no meu corpo e nos rios da Chapada Diamantina, fluindo e pulsando. Um só sangue. Sugiro que os guias façam esta experiência com os visitantes. Boa oportunidade para uma reflexão sobre a importância da água em nossas vidas.

Água é vida
Água é vida

Como o dia estava nublado, muitas aves estavam cantando e era fácil avistá-las. Percebi que a RPPN, de fácil acesso, inclusive para a turma da melhor idade, é um ótimo lugar para se fazer observação de aves: cedo ou em dia nublado. Uma rocha ao alto, se for aberta uma trilha até lá, servirá também para observar a RPPN do alto e o vale do Rio Preto com as serras que o contorna. Excelente vista! Os urubus estavam em bando por lá aproveitando o visual.

Beija-flor

Continuando a trilha, passei por um pasto abandonado, e um enxame de gafanhoto pulava para todo o lado. Eles tinham um brilho diferente que me deixou curioso. Eram lindos! Vocês já ouviram o termo “nuvem de gafanhotos”? Eu estava andando sobre as nuvens.

Gafanhoto

Após ter passado pelos campos da RPPN e pelo pasto abandonado, comecei a caminhar entre árvores. Se o dia estivesse com céu azul, com certeza eu sentiria muito calor até este ambiente. Ilha de Mata Atlântica em estágio inicial de recuperação, só tive amplidão de visão ao chegar no rio Paraguaçu – Parque Nacional da Chapada Diamantina, exatamente no Poço Redondo.

O Poço Redondo já foi trabalhado por garimpo de diamantes. Hoje não há exploração de minério nele. Há um local de acampamento que parece ser bastante utilizado. Não é uma vista cênica como a ponte do Paraguaçu em Andaraí, mas é um poço também que chama ao banho. E foi o que eu fiz.

Poço Redondo - Rio Paraguaçu
Poço Redondo – Rio Paraguaçu

Ao retornar no final do dia, bem devagar, a passos lentos pela Mata Atlântica, observei vários pássaros que vivem em ambiente de floresta. Muitos visitantes reclamam por não avistarem aves e bichos na Chapada. Eles estão na região. Porém há técnicas para isso, a exemplo da roupa (tem que ser tipo “camuflada”), sem perfumes, passos lentos, silêncio total, grupos pequenos, e muita paciência. Nós não vemos os bichos. Mas com certeza eles estão nos vendo.

Beija-flor-marrom (Colibri delphinae). Raro, encontrado somente em Roraima e na Chapada Diamantina.
Beija-flor-marrom (Colibri delphinae). Raro, encontrado somente em Roraima e na Chapada Diamantina.

Apesar de não ser divulgada pelo trade turístico de Mucugê, aconselho a trilha para observadores de aves. De outra forma, um bom guia intérprete (falo de guia que interpreta a trilha, e não a língua) pode enriquecer o passeio. Ainda mais se ele motivar a ciência e a vivência no ambiente natural através de técnicas que estimulam a percepção do visitante.

DSCN9292

Quem optar passar uns dias em Mucugê e quiser observar aves, vale a pena investir um dia de passeio saindo 5 horas da manhã para a RPPN até finalizar com um banho no Poço Redondo. Vários ambientes significam diferentes habitats de bichos e aves que vivem naquele ou neste ambiente.


Mapa imagem satélite

MAIS INFORMAÇÕES AQUI

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s